domingo, 21 de agosto de 2016

Para um alguém muito estranhamente importante chamado...

Sua voz, tão doce como avelã
me soa tão doce e perfumada como o branco do teu sorriso.
O carinho e o cuidado que você me transmite te torna o meu precioso talismã,
justo eu, no meio dos grandes, medrosamente agindo de modo indeciso.

Ah cara! Isso é tão bom e inconsequente!
Você e eu ali sentados no meio da galera e um cartaz,
a esperança vai oscilando do inconsequente ao congruente,
a respiração pelo fato de você estar ao meu lado acaba se tornando veloz e sagaz.

Ei, rapaz, não brinca comigo não,
estou ficando apaixonada de novo, vê se pode!
Mas é foda, é escolha do coração,
e a gente sem escolha só de fode,
sabe o por quê?
Porque eu não sou o seu tipo,
uma criança tímida da própria pisque,
enquanto você, um admirável e apaixonante campo de maravilhas!

Te quero, não por capricho, mas por sincronia, sabe?
Sair de mãos dadas pela cidade e viver ao teu lado uma dessas velhas histórias de amor.
Vem cá, com flores e um sorriso no rosto,
acaba com essa minha triste insônia?
Vamos ser emancipados juntos, que tal, nesse mês de agosto?!
Vamos ser um conjunto, que louco, nessa colônia bizarra chamada vida...!

(Lis - 20/08/16 - 16:38)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Yoo...